quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Gonçalo Sobral Martins: O abraço que nunca deixei de [te] querer

Gonçalo Sobral Martins: O abraço que nunca deixei de [te] querer: [Declamação do poema por Gonçalo SM] Outrora, apeteceu-me um abraço teu. Daqueles abraços de urso, que despertam a magia de u...

Gonçalo Sobral Martins: O abraço que nunca deixei de [te] querer

Gonçalo Sobral Martins: O abraço que nunca deixei de [te] querer: [Declamação do poema por Gonçalo SM] Outrora, apeteceu-me um abraço teu. Daqueles abraços de urso, que despertam a magia de u...

Gonçalo Sobral Martins: O abraço que nunca deixei de [te] querer

Gonçalo Sobral Martins: O abraço que nunca deixei de [te] querer: [Declamação do poema por Gonçalo SM] Outrora, apeteceu-me um abraço teu. Daqueles abraços de urso, que despertam a magia de u...

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Gonçalo Sobral Martins: Esse rio que era mar, nessa aldeia perto do céu

Gonçalo Sobral Martins: Esse rio que era mar, nessa aldeia perto do céu: Naquele rio que vai ter ao mar; naquele rio que é muito mais mar do que rio, tu sorrias. Ao redor desse rio onde, sorrindo, te vi sorr...

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Gonçalo Sobral Martins: Natal: compramos o que gostamos ou o que nos deixa...

Gonçalo Sobral Martins: Natal: compramos o que gostamos ou o que nos deixa...: A cada dia, tem vindo a surgir uma aposta crescente em modelos sofisticados de CRM por parte de grandes empresas: este é um sistema integra...

Gonçalo Sobral Martins: Natal: compramos o que gostamos ou o que nos deixa...

Gonçalo Sobral Martins: Natal: compramos o que gostamos ou o que nos deixa...: A cada dia, tem vindo a surgir uma aposta crescente em modelos sofisticados de CRM por parte de grandes empresas: este é um sistema integra...

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Gonçalo Sobral Martins: Porto.

Gonçalo Sobral Martins: Porto.: Desta pronúncia rara e nortenha, Libertam-se vozes que aquecem a alma. São ecos vivos dessa oculta senha: Dos que são lareira a arder...

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Gonçalo Sobral Martins: Como o Marketing nos desarma através da Nostalgia

Gonçalo Sobral Martins: Como o Marketing nos desarma através da Nostalgia: Todos os que leem esta crónica têm uma coisa em comum. Em primeira instância e antes de qualquer outra particularidade que nos possa eventu...

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Gonçalo Sobral Martins: O tempo: duas margens, sem uma ponte

Gonçalo Sobral Martins: O tempo: duas margens, sem uma ponte: O tempo – que balança entre duas margens situadas nas extremidades de uma ponte inexistente (apelidada de “presente”) – nunca foi um tempo ...

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

sábado, 20 de agosto de 2016

Gonçalo Sobral Martins: «Hoje não posso»

Gonçalo Sobral Martins: «Hoje não posso»: «Hoje não posso». Eram sempre as suas três palavras. Ou porque havia o cansaço das viagens, ou do trabalho, ou porque no dia seguinte lá ha...

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Gonçalo Sobral Martins: «Hoje não posso»

Gonçalo Sobral Martins: «Hoje não posso»: «Hoje não posso». Eram sempre as suas três palavras. Ou porque havia o cansaço das viagens, ou do trabalho, ou porque no dia seguinte lá ha...

sábado, 30 de julho de 2016

Gonçalo Sobral Martins: Apontamentos marítimos

Gonçalo Sobral Martins: Apontamentos marítimos: Tinha um azul tão límpido e tão distante de mim que parecia querer-me acreditar na possibilidade – principesca e medieval – de que, se me f...

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Gonçalo Sobral Martins: O viajante de corredores

Gonçalo Sobral Martins: O viajante de corredores: [ Cidade do Porto, Junho de 2016; Fotografia por GSM ] Foi jornadeando pelos corredores precedentes desse edifício, sem saber que c...

domingo, 5 de junho de 2016

Gonçalo Sobral Martins: Porto.

Gonçalo Sobral Martins: Porto.: Desta pronúncia rara e nortenha, Libertam-se vozes que aquecem a alma. São ecos vivos dessa oculta senha: Dos que são lareira a arder...

terça-feira, 10 de maio de 2016

quinta-feira, 7 de abril de 2016

Gonçalo Sobral Martins: Coisas sensivelmente parvas

Gonçalo Sobral Martins: Coisas sensivelmente parvas: O quotidiano e a natureza são inspiradores; não só para Alberto Caeiro. Também para o comum dos mortais, onde me enquadro. Nas últimas sema...

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016